segunda-feira, 28 de abril de 2014

Conhecimento de Deus


Acaba de sair a minha tradução do livro Conhecimento de Deus, que regista o debate entre Michael Tooley e Alvin Plantinga sobre epistemologia da religião. O livro foi publicado na editora brasileira Vida Nova. Um breve excerto do livro pode ler-se aqui, em PDF.

Ao passo que o tema central da metafísica da religião é a existência ou não de divindades, o tema central da epistemologia da religião é a adequação da crença em divindades. Os dois temas são bastante diferentes porque do simples facto de existir uma divindade não se segue que seja epistemicamente adequado acreditar na sua existência, e do simples facto de ser epistemicamente adequado acreditar na existência de uma divindade não se segue que essa divindade existe. Em Portugal, no ensino secundário, trata-se sobretudo da metafísica da religião, ainda que em alguns casos os autores dos manuais optem por incluir algo da discussão inicial sobre epistemologia da religião, nomeadamente o debate entre Clifford e William James (como fizemos no 50LF).

Aveiro

É já no próximo sábado, dia 3 de maio, que estaremos na cidade de Aveiro para apresentar e distribuir aos professores o novo projeto 50LF, 11.º Ano. Será no Hotel Meliá Ria, pelas 10:30. Estão convidados.

Kant e a moralidade das ações


Alguns colegas têm-nos perguntado algo como o seguinte:

Tendo em conta que, para Kant, o valor moral da ação não depende das suas consequências, será correto afirmar que para ele uma ação é boa ou má em si mesma?

A nossa resposta é que não é correto afirmar tal coisa.

Em primeiro lugar, é importante esclarecer um ponto prévio. Ainda que o valor moral de uma ação não dependa das suas consequências, como realmente pensa Kant, isso não implica que a ação seja moralmente boa em si mesma. Concluir tal coisa é cair num falso dilema. É como inferir que uma coisa é preta simplesmente porque não é branca. Ela pode afinal ser azul, verde, às riscas brancas e amarelas, etc. Do mesmo modo, o valor moral de uma ação pode não depender das suas consequências nem o seu valor moral residir em si mesma. O valor moral da ação pode, por exemplo, depender da intenção com que é realizada. Ora, é precisamente isso que pensa Kant. 

De acordo com Kant, a ação por si só não chega para sabermos se tem ou não valor moral. Precisamos de saber algo mais; se a intenção ao realizá-la foi a de cumprir o dever ou outra qualquer. É por isso que não basta sabermos que o merceeiro não engana os seus clientes; precisamos ainda de saber o que o leva a fazer isso. Se o fizer para não perder clientela, então a sua ação não tem valor moral. Mas se o fizer porque simplesmente quer cumprir o dever, então a mesma ação já terá valor moral. Ora, se uma ação fosse boa (ou má) em si mesma, seria boa (ou má) independentemente de quaisquer intenções, e nada mais precisaríamos de saber. 

Não sabemos, pois, onde se foi buscar esta ideia errada de que para Kant as ações são boas ou más em si mesmas. Até porque logo no início da primeira secção da Fundamentação da Metafísica dos Costumes ele diz claramente que nada há que seja bom em si mesmo a não ser uma boa vontade. 

O facto de uma ideia ser muito difundida não significa que seja correta. 

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Coimbra

Estaremos no Hotel D. Luís, em Coimbra, no dia 26 de abril (sábado), às 10:00, para apresentar e distribuir o projeto completo 50LF, 11.º Ano.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Guia do Professor

Eis alguns exemplos para se ter noção do que os colegas encontram no Guia do Professor, que acompanha o 50LF 11:




Viseu

No dia 14 de abril (2.ª feira), às 11:00 horas, estaremos no Hotel Montebelo, em Viseu, para apresentar e entregar a pasta completa com o novo projeto 50LF aos colegas que quiserem comparecer. Podem inscrever-se aqui.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Uma amostra do Caderno do Estudante

Um dos livros que fazem parte do novo projeto 50 Lições de Filosofia, 11.º Ano é o Caderno do Estudante, com 108 páginas. Este livro é oferecido aos alunos e, claro, também aos professores.


Eis o índice geral do livro, para se ter uma ideia do seu conteúdo:


E para se ter uma ideia das atividades de revisão (que incluem 364 tarefas, e que são diferentes das que se encontram no fim de cada lição do manual), aqui fica um exemplo, havendo também tarefas de outro tipo.


O Caderno do Aluno inclui, numa secção posterior, as soluções para todas as atividades.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Faro

No dia 11 de abril (6.ª feira), pelas 10:00 horas estaremos em Faro, no Hotel Eva.

Évora

No próximo dia 10 de abril (5.ª feira), pelas 11 horas, estaremos no Évora Hotel para distribuir e apresentar o novo projeto 50 Lições de Filosofia, 11.º Ano (a pasta com o manual para o professor, o Guia do Professor, o Caderno do Estudante e o DVD com a versão demo do manual digital).

Estão convidados todos os professores de Filosofia. Para se inscreverem basta ir aqui e seguir as instruções.



domingo, 6 de abril de 2014

Palavras cruzadas filosóficas

Uma das novidades do 50LF 11.º é a diversidade de atividades didáticas incluídas. No total, são 96 atividades que incluem o preenchimento de quadros, afirmações para completar, interpretação de imagens e de pequenos textos, pequenos tópicos de discussão e palavras cruzadas filosóficas. Eis um exemplo deste último tipo de atividade, dizendo neste caso respeito à epistemologia de Hume (clique na imagem para ver melhor):


sábado, 5 de abril de 2014

quarta-feira, 2 de abril de 2014

50LF 10.º no Brasil


Acabo de receber alguns exemplares do 50LF, 10.º ano, para vender no Brasil. O preço é R$85 + R$20 (frete) = 105 reais. Para comprar, basta enviar-me um email perguntando se ainda tenho exemplares (para reservar um para si), e depositar então o dinheiro na minha conta do Banco do Brasil (agência 0473-1, conta 19.742-4, CPF 017.459.406-26).