sexta-feira, 28 de março de 2014

Para conhecer melhor 50LF: apresentações

Aqui fica o calendário das apresentações de 50 Lições de Filosofia, 11.º Ano, para os professores interessados em conhecer melhor o manual e falar com os próprios autores. E também para lhes ser entregue em mão o projecto completo: Manual (versão do Professor), Guia do Professor, Caderno do Estudante, DVD com versão de demonstração (que inclui dois capítulos completos, com vídeos, PowerPoints, tabelas, documentos complementares, etc.) do Manual Digital.

Para se inscreverem basta contactar a editora.
Por email: professor@didacticaeditora.pt
Por telefone: 215 559 970
Por fax: 212 534 068
Clicar na imagem para ampliar


quarta-feira, 26 de março de 2014

Um ano e cem mil visitas depois

Cem mil visitas e um ano após este blogue de apoio a 50LF ter sido criado, agradecemos sinceramente a todos os visitantes, mas também a todos os professores e alunos que trabalham e estudam pelo nosso manual. Nos próximos dias iremos dar a conhecer melhor o novo projecto 50 Lições de Filosofia, 11.º Ano, que introduz algumas novidades em relação ao manual do 10.º ano. Esperemos que gostem e que mereça a vossa confiança.


50LF 11


Apresentação

Relativamente ao manual do 10.º ano, encontramos neste 50LF cinco novidades.

A primeira é a introdução de atividades no final de cada lição. No total, introduzimos 96 atividades imaginativas e tão estimulantes quanto possível, que incluem palavras cruzadas, preenchimento de tabelas e trabalho de texto, entre outras. Estas atividades tanto podem ser desenvolvidas em grupo como isoladamente, em casa ou na sala de aula.

A segunda novidade é a inclusão de um útil resumo das aprendizagens de cada capítulo, com o título Neste capítulo aprendi que. Numa página apenas, o estudante dispõe de um útil resumo que o orienta porque é uma indicação do que precisa de dominar antes de passar para o capítulo seguinte.

A terceira novidade é a inclusão de um glossário, no final do manual, que inclui todos os conceitos que foram trabalhados. Deste modo, sempre que tiver dúvidas, o estudante tem um guia de referência rápida a que pode recorrer facilmente.

A quarta novidade é o modo como propomos a abordagem dos temas/problemas da cultura científica e tecnológica. Ao invés de mais conteúdos algo rígidos, ainda que opcionais, decidimos incluir inovadores guias de exploração filosófica do cinema e da literatura. O trabalho dos temas/problemas ganhou assim uma integração cultural com a vida do estudante, e uma conexão com os contratos-leitura das escolas.

Finalmente, a quinta novidade é a inclusão de 100 Textos Complementares no Caderno do Estudante, que, além de incluírem vários esclarecimentos, permitem um trabalho de texto mais intenso e uma diversificação das atividades letivas.

Como no nosso manual anterior, aliámos o rigor científico à simplicidade didática, tendo sempre firmemente em vista a preparação para os exames nacionais. Mas, sobretudo, quisemos oferecer um instrumento de trabalho que seja estimulante e permita diferentes percursos, consoante as personalidades e opções dos professores.

Conteúdos



segunda-feira, 24 de março de 2014

O que é a filosofia? Um diálogo

Carlos: Olá, Joana! Faz tempo que não te via! Tudo bem?
Joana: Tudo bem! Estamos quase a começar as aulas, hein?
Carlos: Nem me fales… as férias parecem-me sempre demasiado curtas. Ainda bem que te encontrei porque quero perguntar-te uma coisa.
Joana: O quê?
Carlos: Tu já estudaste filosofia no ano passado, não foi?
Joana: Sim, e este ano vou estudar de novo. Porquê?
Carlos: Porque gostava de saber alguma coisa sobre essa disciplina, que este ano vou estudar pela primeira vez. O que é a filosofia?
Joana: Bom, não é fácil dizer em poucas palavras o que é a filosofia!
Carlos: Eu já desconfiava que era uma chatice. O que não consegues dizer em poucas palavras é sempre uma chatice.
Joana: O que é a matemática?
Carlos: O quê?
Joana: A matemática é uma chatice?
Carlos: Não, até gosto bastante de matemática. Pelo menos, de algumas partes.
Joana: E consegues dizer em poucas palavras o que é a matemática?
Carlos: Claro! A matemática é a disciplina em que estudamos problemas matemáticos.
Joana: Nesse caso, também posso dizer-te que a filosofia é a disciplina em que estudamos problemas filosóficos.
Carlos: Mas eu fiquei na mesma! O que são problemas filosóficos?
Joana: E o que são problemas matemáticos?
Carlos: Ah… bom, não é fácil dizer o que são, mas posso dar exemplos, como a maneira de determinar a área de um triângulo, ou o modo como resolvemos equações.
Joana: O mesmo posso eu fazer com os problemas filosóficos. Posso dar-te exemplos.
Carlos: OK, dá-me lá um exemplo.
Joana: Qual é o problema de matar pessoas?
Carlos: O quê? Estás doida?
Joana: Estou só a perguntar. Certamente pensas que não devemos matar pessoas. Certo?
Carlos: Claro.
Joana: Mas sabes ou não por que razão não devemos fazê-lo?
Carlos: Curioso... Na verdade, nunca pensei nisso. Apenas parece óbvio.
Joana: Do mesmo modo que a escravatura parecia óbvia, aos nossos antepassados do séc. XVI?
Carlos: É isso a filosofia? Analisar as coisas que nos parecem óbvias?
Joana: Não é bem isso. Na verdade, se pensares bem, também nas ciências da natureza, e na matemática, analisas as coisas que nos parecem óbvias — e muitas vezes descobres que o que parecia óbvio afinal é falso.
Carlos: Tens razão! Parece óbvio que a Terra é plana, mas não é.
Joana: Nesse aspecto, a filosofia é como a ciência: descobrimos por vezes que o óbvio afinal é falso. Essa é uma razão importante para analisar cuidadosamente o que pensamos, mesmo que pareça óbvio. Outra razão é a curiosidade: queremos saber o que fundamenta o que pensamos.
Carlos: Estou a ver... Na verdade, deixaste-me curioso: qual é o problema de matar pessoas? Eu acho que é porque matar pessoas lhes provoca sofrimento.
Joana: Se for apenas isso, nenhum problema haverá em matar as pessoas de um modo indolor, quando estão a dormir. Pensas que nesse caso não há problema?
Carlos: Ah! Claro que não penso isso. Eu não quereria que me matassem, mesmo que o fizessem enquanto durmo, sem me provocar dor.
Joana: Nem eu. Isto indica que talvez haja outro fundamento para a proibição de matar pessoas. Mas pensa também noutra coisa: se fores violentamente atacado e a única maneira de te salvares a ti e aos teus amigos for empurrar o criminoso pela janela do vigésimo andar, matando-o. Nesse caso já parece permissível matar uma pessoa, ou não?
Carlos: Hum… mas neste caso é em legítima defesa!
Joana: Claro. Mas vê o que isto significa: se disseres “é errado matar seres humanos” estarás a dizer uma falsidade. Mas parece uma verdade, porque estás a ser impreciso. O que queres dizer é que é errado matar seres humanos inocentes.
Carlos: Então em filosofia tornamos o nosso pensamento mais preciso? Isso é interessante!

segunda-feira, 17 de março de 2014

Olimpíadas: ensaios e fotos

Já demos aqui notícia das Olimpíadas de Filosofia deste ano; entretanto, estão disponíveis aqui mais algumas fotos dos vencedores; e os três ensaios vencedores estão aqui: ouro, prata e bronze. Uma vez mais, os nossos parabéns não apenas aos vencedores, mas também aos organizadores do evento e aos professores que apoiaram os seus alunos.

quarta-feira, 12 de março de 2014

Pódio filosófico

MEDALHA DE OURO
da III Olimpíada Nacional de Filosofia


Maria Beatriz Correia Santos  (na foto) 
Agrupamento de escolas Ibn Mucana (Alcabideche)

A Maria Beatriz Santos venceu com um ensaio sobre o problema filosófico do mal, mais precisamente sobre se a existência do Deus teísta é compatível com a existência do mal no mundo. Pode ser lido aqui um pequeno texto da própria Beatriz Santos sobre a sua participação. Está de parabéns a Beatriz Santos, bem como os professores de Filosofia que a acompanharam, em especial a professora Olga Prata. 
Medalha de Prata
João Filipe Quintas Madeira - 
Escola Secundária Dr. Ginestal Machado (Santarém)

Juntamente com a Beatriz Santos, o João Madeira irá representar Portugal nas Olimpíadas Internacionais a realizar em Vilnius, na Lituânia. Esta é mais uma das presenças da Escola Dr. Ginestal Machado, que nos últimos anos se tem destacado nas Olimpíadas Nacionais de Filosofia.

Medalha de Bronze
Pedro Afonso Moes Bruno - 
Escola Secundária Rainha D. Amélia (Lisboa)


Menções Honrosas
Ana Margarida Gaspar Sobral Simões - 
Escola Secundária de Cantanhede

Beatriz Reis Fontes Ramos Lopes - 
Escola Secundária de Montemor-o-Novo

Diana Barros Francês - 
Escola Secundária de Camões (Lisboa)

Gisela Sousa Ferreira - 
Escola Secundária Adolfo Portela (Águeda)

Hugo Ferreira Luzio - 
Agrupamento de Escolas do Monte da Lua (Sintra)

Maria Vitorino Batista -
Escola Secundária Dr. Ginestal Machado (Santarém)

Pedro José Mendes dos Santos - 
Escola Secundária Eça de Queirós (Póvoa de Varzim)

segunda-feira, 3 de março de 2014

50LF no Brasil

Vários colegas e alunos nos têm contactado perguntando como podem comprar o 50LF 10 no Brasil. Pela Internet é possível comprar o livro diretamente de Portugal, aqui, por exemplo, e aqui. Além disso, em meados de Abril eu terei alguns exemplares para vender diretamente aqui no Brasil, o que será anunciado aqui no blog.

A todos os colegas e alunos interessados no nosso trabalho, fica o nosso muito obrigado!